3 usos da IA que melhoram a performance das equipes

04 de Abril de 2022

Cerca de 64% dos profissionais acreditam que tarefas repetitivas, que poderiam ser automatizadas com IA, reduzem sua produtividade, segundo relatório da TCA. (Foto: Windows/Unsplash)

 

Muitas dúvidas surgem quando se fala em machine learning e inteligência artificial quanto às suas aplicações nas empresas. Qual é o risco de investir em IA? Seremos substituídos pelas máquinas, afinal? Essa discussão, muitas vezes, não leva em conta o potencial de ganho de eficiência para as equipes quando trabalham em conjunto com a tecnologia. Afinal, existem grandes oportunidades no uso da inteligência artificial para criar ferramentas eficientes que empoderam o time para tomar decisões melhores.

O relatório “Getting Smarter by the Day: How AI is Elevating the Performance of Global Companies” , realizado pela Tata Consultancy Services e divulgado em fevereiro de 2020, reflete o impacto que os investimentos em IA geram nas operações. O estudo consultou 924 executivos de diferentes segmentos da indústria em quatro regiões do mundo, e demonstrou que 84% das companhias da amostra usam tecnologias cognitivas  (sistemas inteligentes capazes de aprender e tomar decisões) em algum aspecto de seus negócios. A maioria dessas empresas diz que obteve melhorias de receita e de custo nas áreas em que a IA foi implementada.

Os dados também apontam que a IA está ajudando os funcionários a trabalhar melhor e a inovar. A aplicação da IA em 11 funções-chave dessas empresas têm a função de automatizar processos, ajudar funcionários e fazer um trabalho que ninguém havia feito antes na organização.

A seguir, reunimos três maneiras de usar soluções de inteligência artificial para facilitar o trabalho das equipes, mostrando que os times podem ser mais eficientes com as ferramentas certas.

 

Para ganhar tempo

Ao automatizar tarefas, a IA otimiza processos manuais. Um estudo global feito pela OnePoll, com mais de 10 mil trabalhadores administrativos em 11 países revela que os funcionários passam, em média, mais de três horas por dia realizando tarefas analógicas e repetitivas no computador que não fazem parte de suas atribuições principais. No Brasil, as mulheres são mais afetadas, e acumulam 3,5 horas por dia nessas atividades.

“Houve um momento, não muito tempo atrás, em que a tecnologia no local de trabalho era vista como libertadora”, afirma Shelly Kramer, analista principal da Futurum Research. “Hoje, essas tarefas viraram um fardo significativo. Se você trabalha em um escritório, provavelmente sua produtividade e sua felicidade são substancialmente prejudicadas por precisar ser responsável por tarefas administrativas realizadas manualmente no computador que poderiam facilmente ser automatizadas e absorvidas no dia a dia", complementa.

É comum que profissionais de alta performance tenham que dividir seu tempo entre essas tarefas manuais, burocráticas e de baixo impacto, e entregas mais importantes. Ao desonerar as pessoas dessas tarefas, a equipe pode se dedicar a atividades que geram mais valor à empresa e permite que seus talentos se desenvolvam. A economia de tempo e de mão de obra abre caminho para melhorar a produtividade e permite a entrega de resultados melhores.

 

 

Para uniformizar as informações

Outra consequência da automatização das tarefas, quando passam a ser realizadas por um computador, é a unificação das bases de dados e a uniformidade dos resultados. Segundo material publicado pela Pricing Solution, a metodologia de markup é a base desta definição de preços em 70% das empresas no mundo. Nesses casos, normalmente a ferramenta utilizada para a precificação é o Excel.

Na análise de Bernardo Queiroz, cofundador da Aprix, esta forma tradicional de definição de preços não oferece muita agilidade e precisão. “O processo de precificação depende de informações que estão descentralizadas, então, o uso exclusivo de planilhas acaba resultando em aumento do tempo de reação ao mercado. Além disso, as análises manuais do cenário de mercado torna inviável a avaliação de todos os dados disponíveis e das oportunidades no nível de cada SKU do mix”, avalia.

A uniformidade também pode gerar uma comunicação mais assertiva, pois ter todas as informações em um só lugar agiliza o acesso e o compartilhamento de informações entre os funcionários e facilita o alinhamento de informações entre o os membros do time e também entre outras equipes na empresa.

Ter informações claras e unificadas também pode gerar mais agilidade nos treinamentos, o que reduz o tempo de rampagem dos funcionários. Ou seja, faz com que o tempo que os novos funcionários levam para se adaptar completamente à empresa e entregar seus melhores resultados seja reduzido.

 Baixe o material gratuito: Tendências de Pricing: Inteligência Artificial e Precificação Dinâmica! Compilado de materiais, curiosidades e entrevistas com especialistas na área de pricing!

 

Para gerar insights melhores

A inteligência artificial é uma grande aliada no tratamento de grandes volumes de dados. Muitas vezes, tarefas manuais comprometem a precisão da coleta e da análise de dados. Por consequência, mensurar resultados e gerar insights pode ser muito mais custoso.

Ao automatizar etapas como a coleta, o tratamento e a geração de visualizações de dados — e, assim, aumentar a qualidade dos resultados — é possível melhorar a produtividade e a performance da equipe. Além disso, com a automação é possível gerar automaticamente gráficos especialmente selecionados para cada objetivo de visualização, atualizados em tempo real, por exemplo.

 
 

 

Quer ficar por dentro das novidades do Aprix Journal? Assine nossa newsletter quinzenal e receba as últimas reportagens e notícias sobre precificação, tecnologia e indústria diretamente em seu e-mail. 


Compartilhe este material