4 passos simples para maximizar os resultados do seu posto com o uso de dados

23 de Abril de 2020

A análise de dados vem se tornando uma área cada vez mais importante na estrutura das organizações, tanto grandes quanto pequenas. Utilizando técnicas e conceitos complexos de matemática e estatística, ela visa a fornecer insights relevantes sobre consumidores, concorrentes, operações, precificação, desempenho financeiro e também possíveis oportunidades de mercado, de modo a propiciar uma tomada de decisão estratégica mais racional e embasada. Em mercados competitivos como o da revenda de combustíveis, por exemplo, decidir apenas com base em intuição e experiência pode não ser suficiente para trazer os melhores resultados.

Para isso, analistas e engenheiros encaram o desafio de transformar dados brutos em informações claras e concisas que servirão de insumo para a tomada de decisão. Não à toa, um dos maiores desafios pode estar além dos modelos matemáticos: como comunicar dados de maneira eficiente para profissionais com diferentes experiências e interesses e que não necessariamente possuem conhecimento formal em matemática e estatística?

Na Aprix, nós acreditamos que a precificação inteligente deve tornar-se parte da rotina organizacional de modo acessível e natural. Um processo que é favorecido por boas práticas de comunicação de informações e de resultados obtidos através da análise de dados, algumas das quais compartilhamos com vocês:

1. Mais do que apenas números, é preciso entender que dados contam histórias e refletem o seu contexto, seja local ou mais abrangente. “Um novo concorrente na região? Feriadão? Bloqueio da rua?”: as contextualizações permitem diferenciar, por exemplo, variações de demanda que podem ser consequência direta do posicionamento de mercado daquelas que são influenciadas por razões específicas e anômalas, como, por exemplo, o Carnaval ou a crise da Covid-19:

Histórico diário do Volume

2. “Espera… São mais 10% de margem sobre a concorrência? Sobre o seu próprio histórico? E considerando o último mês? Ou o último ano?”. Para evitar interpretações incorretas, comparações devem apresentar referências claras e precisas: aumentos ou quedas devem deixar claro sobre o que tratam, o que é utilizado para comparação e qual o período considerado. Como no exemplo abaixo, onde a massa de margem de um mês é comparada à projeção para o mês seguinte.

Total Consolidado Março x Total Projeção Abril

3. Na dúvida, o melhor é sempre lembrar que “menos é mais”. Gráficos complexos, extremamente coloridos, com várias sobreposições de linhas, e que exigem explicações longas tornam a visualização confusa e a interpretação complicada. Dados relacionados - como volume, margem unitária e massa de margem - podem ser apresentados sem sobreposições, lado a lado, de modo que cada um seja visualizado adequadamente, mas sem que se perca a informação global. Por exemplo, do conjunto da figura abaixo é possível observar que, num certo período, a queda de volume foi compensada pelo aumento da margem unitária não impactando a massa de margem acumulada.

Volume x Margem Unitária x Massa de Margem

4. Por fim, além de uma plataforma com apresentação dos dados e informações gerais do cliente (incluindo as informações dos exemplos anteriores, por exemplo), o envio regular de resumos e pequenos relatórios sobre informações-chave é fundamental para promover o engajamento e manter os gestores atualizados sobre o que está acontecendo. E isso pode ser feito facilmente através de aplicativos de mensagens instantâneas com os quais todos já estamos familiarizados:


Compartilhe este material