O que é IBVCA e como esse índice tem acertado previsões sobre dados oficiais de volume de combustíveis

16 de Dezembro de 2020

Índice Brasil Volume de Combustíveis Aprix (IBVCA) teve erro de apenas 1 ponto percentual na previsão dos indicadores oficiais do mercado em outubro

A startup Aprix, especializada em otimização de preços de combustíveis, lançou em setembro o Índice Brasil Volume de Combustíveis Aprix (IBVCA), um novo índice de acompanhamento de volume. A iniciativa integra o monitoramento do mercado de combustíveis brasileiro, com dados publicados semanalmente pela empresa, e permite uma antecipação de até 3 meses das oscilações do volume de vendas no país. A startup desenvolveu o índice com base em uma demanda do mercado, de entender o que acontece na ponta da cadeia de combustíveis, e em novembro passou a utilizá-lo oficialmente em seus relatórios.

O índice indexa os dados amostrais de volume da Aprix aos dados do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes (Sindicom) e da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), resultando na previsibilidade do comportamento do volume de combustíveis. Assim, os dados dos órgãos oficiais podem ser antecipados, de modo a obter uma informação mais atualizada e precisa.

Segundo Raissa Goulart, sales consultant responsável pela inteligência de mercado da Aprix, os dados do IBVCA permitem maior velocidade de adaptação das companhias ao contexto do mercado. “Isso transforma a informação em vantagem competitiva, capaz de trazer resultados práticos de captura de valor”, explica.

Gabriel Giovanaz, machine learning engineer da Aprix e responsável pelo desenvolvimento do IBVCA, explica que o modelo é formatado a partir de uma série de regressões, de modo a encontrar a relação entre a base de dados de volume mensal do Sindicom e da Aprix: na primeira, os níveis de variação histórica da base da Aprix são ajustados com os dados do Sindicom, utilizando um histórico mais longo. Já a segunda parte das regressões tem como base apenas os meses de crise (a partir de março de 2020), com um fator de atenuação, de forma a corrigir a taxa de recuperação desde o início da crise. A hipótese é de que o comportamento dos volumes durante os meses de crise é diferente do restante do histórico. O total de postos da base nacional da ANP também é utilizado no cálculo.

Os dados de volume da Aprix são agregados — ou seja, sem diferenciar por CNPJ — por bandeira e por produto. A empresa explica que isso ocorre por questões de segurança e devido à sensibilidade dos dados de volume. Além disso, Raissa explica que o IBVCA pode ser considerado representativo, visto que indexa os dados da Aprix aos do Sindicom e da ANP. Com isso, é possível obter um valor de volume que não está diretamente ligado à amostra da empresa, mas que a utiliza como base, além de referenciar o mercado.

Guilherme Zuanazzi, CEO da Aprix, considera essa prévia do índice de volume importante para entender o que está acontecendo com o mercado antes do dado oficial ser divulgado. “Sabemos que a velocidade da informação vale tanto quanto ou mais do que a informação em si”, afirma. “Então se você tiver isso, você vai ter uma vantagem sobre o restante do mercado.”

O dado pode ser especialmente útil para gestores de ativos, pessoas ligadas ao setor de óleo e gás, distribuidoras e redes de postos, além de permitir a avaliação de performances. “Esse índice é uma média do mercado, então você consegue ter uma métrica da sua performance. Se você comparar a sua performance com a que o indicador está apontando, você vai saber se a sua empresa está performando acima ou abaixo dessa média de mercado”, explica Zuanazzi.

Fonte: Aprix

Desempenho do IBVCA

Segundo dados divulgados em dezembro pelo Sindicom, o volume de vendas de combustíveis no Brasil atingiu, em outubro, um aumento de 16% em comparação a janeiro. O IBVCA ficou próximo ao dado divulgado pelo Sindicom, com uma previsão de 15% — um erro de apenas 1 ponto percentual, provando a sua precisão.

“O que é bacana é que desde que nós lançamos o índice, as taxas de acerto têm sido muito boas. Dois meses atrás, nós erramos por menos de dois pontos percentuais na previsão, e, nesse mês, foi por menos de um ponto percentual. Então, os números não mentem. Mostrou realmente como a metodologia foi bem-sucedida neste desafio, que era justamente de prever esse indicador oficial”, afirma o CEO.

Antes do lançamento do índice, o mercado precisava esperar até 3 meses para a divulgação dos dados. “Acontece que esse indicador oficial tem um atraso muito grande. O nosso desafio na Aprix foi desenvolver um índice, usando uma metodologia estatística nossa, para conseguir, a partir da amostra de dados que nós temos, cruzar esses dados com os dados oficiais do Sindicom e ANP, de modo que se consiga, então, ter uma prévia desse indicador oficial”, complementa Zuanazzi. Agora, é possível acompanhar a previsão com antecedência e semanalmente.

O IBVCA pode ser consultado gratuitamente através do relatório semanal da Aprix. Devido à sua sensibilidade, o dado não aparece discriminado, mas sim indexado aos valores de volume. Desse modo, os números divulgados no relatório da empresa equivalem ao IBVCA — que nada mais é do que a amostra da Aprix com a indexação dos dados oficiais, resultando numa aproximação dos valores de mercado.

 A imagem mostra, sobre um fundo branco, um texto escrito em letras azul-marinho, que diz:

 

 

Quer ficar por dentro das novidades do Aprix Journal? Assine nossa newsletter semanal e receba as últimas reportagens e notícias sobre combustíveis, tecnologia e precificação diretamente em seu e-mail. Ou, se preferir, receba pelo WhatsApp. Basta nos enviar uma mensagem clicando neste link.



Compartilhe este material