R$ 96 mil é quanto um posto médio deixa de capturar por decisões de preços equivocadas em um ano

24 de Junho de 2020

A rotina de precificação de um revendedor pode ser bastante onerosa entre avaliações de preços do mercado, cálculos manuais de margem e suposições de como a demanda reagirá ao novo posicionamento de preço nas bombas. Além disso, quando essa decisão começa a envolver um número maior de postos, como é o caso em redes, ela ainda precisa ser cuidadosamente avaliada para os diferentes contextos nos quais os postos estão inseridos e para cada produto, evidentemente.

Nesse sentido, pode existir ainda uma perda acumulada. Não se trata somente de uma decisão difícil de ser tomada, que demanda tempo e energia, como também impacta diretamente no resultado da rentabilidade da operação. Ou seja, além de despender tempo, caso a decisão correta, alinhada a estratégia do posto, não seja tomada, as vendas sentirão o efeito, o que resultará em menos dinheiro no caixa do posto.

Segundo um estudo conduzido pela equipe de cientistas de dados da Aprix, um posto que venda uma média de 200m³/mês pode deixar até 96 mil reais de valor no mercado, que poderia ter sido capturado via decisões ajustadas de precificação. Essa estimativa expressa em um valor quantitativo o tamanho da perda de decisões equivocadas, porém ela não contabiliza o valor das horas gastas em discussões e suposições.

A pergunta que sempre fazemos aos revendedores que conversamos é: quanto tempo você investe, diariamente, para tomar uma decisão que nem mesmo você confia que seja a melhor para o seu negócio?



Compartilhe este material